Menu

sexta, 19 de outubro de 2018

Ex-jogador patoense, Carlão cai doente e comove amigos com drama familiar

07-março-2018 Esporte

Imagine, por um momento, de uma hora para outra, não conseguir mais levantar da sua cama, não ter forças para tomar um banho ou não conseguir se alimentar sozinho. Imaginou? É bem difícil pensar em estar nessa situação, é bem verdade. Mas é exatamente por isso que está passando o ex-jogador Carlão, que foi centroavante em times de peso no Nordeste durante a década de 90. Como centroavante, ele vestiu as camisas de Campinense, Botafogo-PB e Santa Cruz por exemplo. E quer saber o que é pior? Ninguém faz ideia do que provocou isso ou que doença ele tem.

A vida não foi fácil com Carlão após sua aposentadoria dos gramados, em 1998. O ex-jogador começou a carreira no Campinense, em 1989, e, na Paraíba, passou ainda por Botafogo-PB, Nacional e Esporte de Patos. Fora do seu estado de origem, defendeu as cores de Corinthians do Piauí, Santa Cruz e Mogi Mirim. Após pendurar as chuteiras, ele ficou desempregado por um bom tempo até encontrar trabalho como segurança de uma escola, na Paraíba. Além disso, pouco tempo depois, perdeu a esposa, em 2004. Esse conjunto de fatores fez o ex-atleta enveredar pelo alcoolismo há pelo menos 10 anos.

Desde a morte da esposa, o ex-jogador vivia com a mãe, Rita Araújo, em um bairro da periferia de Campina Grande, cidade que fica a 120km da capital João Pessoa. No início de fevereiro deste ano, os anos de descuido com a saúde cobraram seu preço, e Carlão caiu doente.

Segundo Caio Albert, que é filho do ex-jogador, Carlão não está mais conseguindo se levantar e nem falar com clareza. O ex-centroavante nem mesmo consegue comer, ir ao banheiro ou tomar banho sozinho, por exemplo. Quem cuida dele é a sua mãe, que tem 81 anos, e uma vizinha dela, Janaína Santos.

Como antes de adoecer Carlão estava desempregado, ele e a mãe vivem com uma única renda, fruto da aposentadoria dela. A situação se agravou a partir do momento em que o ex-jogador precisou usar fraldas, remédios para dores e alimentação pastosa por conta da dificuldade em deglutir. Além disso, Carlão tem que fazer alguns exames para saber qual a sua doença. O pouco dinheiro se esvaiu com essas despesas, e a família precisou de auxílio também nas contas básicas do lar.

Campanha para ajudá-lo

Ao saber das dificuldades pelas quais Carlão vem passando, um grupo de amigos do ex-jogador, a maioria ex-companheiros no futebol, resolveu ajudar a família. Esses amigos estão participando de uma campanha para arrecadar dinheiro e conseguiram, inicialmente, um montante suficiente para comprar fraldas, comidas e pagar algumas contas da casa, como energia e água. Além disso, o grupo também conseguiu pagar alguns exames que Carlão teve que fazer, como de sangue e raio-X. No entanto, mais exames precisam ser feitos.

Através do filho do ex-jogador, a campanha teve início na cidade de Patos, que fica no Sertão Paraibano. Lá, Carlão se tornou ídolo depois de atuar pelos dois principais clubes da cidade: o Esporte e o Nacional. Talvez por isso, a campanha em prol do ex-jogador tenha sido abraçada pelos patoenses.

- A princípio, nós conseguimos arrecadar fraldas e alimentos. Mas agora estamos esperando que os médicos passem os exames e estamos tentando arrecadar dinheiro para isso. Os exames têm que ser feitos para ontem e não tem como esperar para fazer pelo SUS na situação em que ele está - afirmou o ex-volante do Campinense, Márcio, que jogou com Carlão na Raposa.

- Os exames dele foram de urina, raio-X e de sangue. Sobre o fígado, a médica falou que esperava dar algo a mais pela situação em que ele se encontra no momento. Ela falou que tem uma parte do fígado que está comprometida, mas é normal pelo tempo de álcool. Mas é coisa que se regenera. Agora ela passou uma tomografia no crânio para tentar descobrir o porquê de ele não conseguir andar e nem se levantar - disse o filho de Carlão.

Rivalidade importante

Apaixonada pelo Campinense, Dona Rita, mãe de Carlão, sonha com a recuperação do jogador e com uma campanha ainda maior em prol do filho. O amor pelo Rubro-Negro é tanto que a mãe sempre impediu que o centroavante pudesse atuar pelo Treze, maior rival da Raposa. Deixando de lado a rivalidade, a família recebeu o contato do ídolo do Galo, Marcelinho Paraíba, que prometeu uma visita e, possivelmente, uma ajuda ao ex-jogador.

globoesporte.globo.com/pb

Comentários

O utilizador reconhece e aceita que o PATOSMETROPOLE.COM.BR, apesar de atento ao conteúdo editorial deste espaço, não exerce nem pode exercer controle sobre todas as mensagens. O PATOSMETROPOLE não se responsabiliza pelo conteúdo de mensagens publicadas no mural ou comentários de postagens.

Notícias Relacionadas

Treinador do Sport de Patos pede arbitragem i...

Garantido na semifinal da 2ª divisã...

Esporte de Patos goleia Nacional de Pombal e ...

O Esporte de Patos entrou em campo na noite dest...

Goleiro do Nacional de Pombal reclama de atra...

O goleiro Breno denunciou que o Nacional de Pomb...

Esporte e Amigos decidirão o Campeonato Regi...

O Campeonato Regional Sub 17 de Patos ter&aacu...

Outras categorias