Menu

sábado, 18 de novembro de 2017

Açudes Jatobá e Farinha em Patos estão em colapso total e Capoeira ainda sobrevive com 10% da capacidade

13-novembro-2017 Gerais

Os três mananciais que abastecem o município de Patos, no Sertão da Paraíba, estão praticamente secos e em situação de quase colapso total. Jatobá, Farinha e Capoeira, juntos, são responsáveis por grande parte do abastecimento da cidade que sofre há anos com a forte estiagem.

O açude do Jatobá que tem capacidade armazenar 17.516.000m³, tem hoje apenas 357.330m³, ou seja, com 2,04%, segundo a última medição feita em 9 de outubro.

A barragem da Farinha também está à beira de um colapso total. Tendo capacidade para armazenar até 25.738.500m³, o manancial tem hoje somente 612.670m³, 2,38% da sua capacidade, segundo a última medição feita em 16 de outubro.

No entanto, um mês depois da última medição oficial da AESA, dá pra ver a olho nu que a situação é bem mais crítica. Jatobá, por exemplo, não existe mais água acumulada praticamente, compreendendo uma situação de colapso total.

Farinha ainda é possível ver a lâmina de água, mesmo que seja pequena. As fotos foram retiradas neste fim de semana e possível constatar que não existem mais condições de abastecimento através destes mananciais.

A situação menos caótica, mas que causa preocupação também, é a Barragem de Capoeira que tem capacidade total de 53.450.000m³, mas hoje só tem 5.827.009m³, 10,90%, segundo os últimos dados coletados em 4 de outubro. Também muito atrasados os dados. A Barragem da Farinha passa por reestruturação no seu balde por parte da Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos do Estado.

Com isto, Patos hoje está sendo abastecida pelos açudes Coremas e Mãe D’água que aos poucos também começam a entrar em situação de calamidade total.

Atualmente, o açude de Coremas, que tem uma capacidade de 591.646.222 m³, acumula apenas 32.469.624, 5,49% do volume total, e está na lista dos reservatórios em situação de observação. Já o de Mãe D’água, que tem capacidade de 567.999.136, está com 22.994.860, 4,05% de água, sendo um dos 49 açudes do estado em situação crítica.

Com precipitações abaixo da média nos últimos meses, a segurança hídrica dos reservatórios fica em xeque. A Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa) trabalha com a percepção de que o abastecimento normal nas cidades que recebem águas desses açudes está garantido até março do ano que vem.

A expectativa do órgão, no entanto, é de que as chuvas de janeiro possam melhorar essa perspectiva e garantir uma segurança hídrica por mais tempo.

Esses reservatórios abastecem os municípios de Cajazeirinhas, Pombal, Vista Serrana, Paulista, Catolé do Rocha, Brejo do Cruz, Belém do Brejo do Cruz e São Bento e atendem cerca de 200 mil habitantes.

O presidente da Aesa, João Fernandes, avaliou a situação do Sertão. “A gente tem monitorado e vamos conseguir manter o abastecimento até março do ano que vem. Mas realmente a situação não é fácil, visto que não tem chovido no Sertão. Já são sete meses chovendo abaixo da média. Se daqui para lá não melhorar isso, vamos analisar melhor o caso e buscar soluções”, explicou.

Portal40graus

 

Comentários

O utilizador reconhece e aceita que o PATOSMETROPOLE.COM.BR, apesar de atento ao conteúdo editorial deste espaço, não exerce nem pode exercer controle sobre todas as mensagens. O PATOSMETROPOLE não se responsabiliza pelo conteúdo de mensagens publicadas no mural ou comentários de postagens.

Notícias Relacionadas

Paraíba eleva emprego e permanece com a meno...

O Estado da Paraíba elevou a taxa de ocup...

Com sinais de embriaguez, sargento reformado ...

Acidente de graves proporções, env...

Acidente na conhecida \"Curva de Neneco\" dei...

Um novo acidente de trânsito foi registr...

OAB reformará sede da Subseção de Patos; o...

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil,...

Outras categorias