quinta, 18 de abril de 2019

Estudioso prevê chuvas variando de normais a abaixo da média em 2019 no semiárido da Paraíba

25/01/2019 Rodrigo Cézar Limeira

O Cariri, Sertão e Alto-sertão da Paraíba terão chuvas variando entre a média e valores abaixo da média esse ano afirma o físico, meteorologista e mestre em Meteorologia Rodrigo Cézar Limeira.

De acordo com o estudioso há um aspecto favorável para as chuvas no interior do Estado esse ano, o Oceano Atlântico Norte está passando por um fenômeno chamado de Oscilação Multidecadal do Atlântico, que se iniciou nos primeiros meses de 2018 e que pode perdurar por alguns anos. Dessa forma o citado oceano encontra-se desde o início do ano passado mais frio que o normal, fato que favorece bons índices pluviométricos de chuvas para o interior do Estado durante a quadra chuvosa de fevereiro a maio desse ano.

Por outro lado a região central do Oceano Pacífico Equatorial encontra-se mais quente que o normal desde setembro de 2018, com tendência de configuração de um fraco episódio do fenômeno climático e oceânico El Niño nas próximas semanas. Mesmo se não configurasse o El Niño, só o fato da região central do Pacífico Equatorial estar com temperatura acima da média durante a quadra chuvosa de fevereiro a maio, já seria suficiente para influenciar na distribuição das chuvas no semiárido do Estado.

Além disso, o Oceano Atlântico Sul na altura da costa leste do Nordeste vem desde 2012 com tendência de esquentar abaixo do normal, fato que colaborou muito para a grande crise hídrica que atinge o interior do Estado da Paraíba desde o mencionado ano.

Para o estudioso a perspetiva é de encerramento da quadra chuvosa do semiárido do Estado na segunda quinzena de abril, fato característico de anos de El Niño.

O Atlântico Sul na altura da costa leste do Nordeste está quente desde novembro de 2018, algo que muitas vezes ocorre em anos de El Niño, o mencionado oceano esquenta antes do normal, e também esfria antes do período normal. 

O comum de acordo com o estudioso é o referido oceano esquentar significativamente em fevereiro mantendo-se quente até maio, e em 2019 esse aquecimento foi antecipado. 

Para a região de Patos-PB a perspectiva é de chuvas abaixo da média histórica em 2019, com considerável irregularidade na distribuição espacial e temporal das chuvas, algo que terá impacto no armazenamento de água em seus grandes reservatórios, como é o caso dos mananciais de Coremas, Mãe d' Água e Capoeira.

Estudioso prevê recargas menores para a maioria dos grandes açudes do interior do Estado em 2019:

A maioria dos grandes açudes que abastecem as cidades do interior do Estado da Paraíba terão recargas menores que ano passado, pontua Rodrigo Cézar Limeira.

Com o El Niño fraco, a perspectiva é de menos recargas em reservatórios como Coremas, Mãe d' Água, Açude Cachoeira dos Cegos, Engenheiro Arcoverde, Lagoa do Arroz e Engenheiro Ávidos esse ano, em se comparando com o ano passado.

Portal Ciência em Foco 

 

Comentários

O utilizador reconhece e aceita que o PATOSMETROPOLE.COM.BR, apesar de atento ao conteúdo editorial deste espaço, não exerce nem pode exercer controle sobre todas as mensagens. O PATOSMETROPOLE não se responsabiliza pelo conteúdo de mensagens publicadas no mural ou comentários de postagens.

Notícias Relacionadas

Principal impacto do fenômeno El Niño esse ...

Estudioso prevê chuvas variando de normais a abaixo da média em 2019

Estudioso prevê chuvas isoladas em novembro,...

Estudioso prevê chuvas variando de normais a abaixo da média em 2019

Com El Niño, 2019 será ano de perdas nas la...

Estudioso prevê chuvas variando de normais a abaixo da média em 2019

Estudioso prevê \"normalidade ou El Niño\" ...

Estudioso prevê chuvas variando de normais a abaixo da média em 2019

Outras categorias