Banner Inecardio
decidiu

Justiça inocenta ex-primeira-dama Pâmela Bório, após Ricardo Coutinho acusá-la de”invadir e depredar a Granja Santana”

O caso aconteceu no dia 22 de março de 2018, quando após uma confusão Pâmela saiu da Granja Santana, passando por cima de uma das cancelas de entrada

01/09/2019 20h43
Por: Ary Ramalho
Fonte: Se Liga PB
27
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A 3ª vara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba, em João Pessoa, decidiu por inocentar a ex-primeira-dama do estado, Pâmela Bório, sob a acusação de depredação do patrimônio público. O caso aconteceu no dia 22 de março de 2018, quando após uma confusão Pâmela saiu da Granja Santana, passando por cima de uma das cancelas de entrada.

A jornalista explica que foi acusada pelo então governador Ricardo Coutinho de destruir a residência oficial, utilizando o seu veículo para invadir. “Ele orquestrou a cilada e mandou toda a imprensa paga pela SECOM me denegrir em pleno período de campanha eleitoral, me chacoteando de ‘desequilibrada’, ‘drogada’ e etc, a fim de me causar danos nas eleições e na ação de guarda do meu filho”,afirmou acusou Pâmela nas suas redes sociais.

“As imagens que a própria acusação ofereceu para me prejudicar foram a maior prova da verdade e aqui está a sentença que recebi nesses últimos dias ME INOCENTANDO”, anunciou Pâmela, em seguida colocando uma foto do documento.

Pâmela é filiada ao PSL e concorreu ao cargo de deputada federal nas eleições de 2018, aonde obteve 11.120 votos, e ficou na primeira suplência. Após uma ação no TRE-PB, da coligação liderada pelo ex-governador Ricardo, Pâmela teve o diploma de suplente cassado, sob alegação de que até o período das eleições ela ainda estava casada com Ricardo.

OS FATOS

No dia 22 de Março de 2018, Pâmela explicou que fez uma viagem a Campina Grande, para participar de um evento de filiação do PSL na Câmara Municipal, solenidade que contou com a presença do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Antes de pegar a estrada, Pâmela disse que deixou o seu filho Henry, fruto do seu relacionamento com Ricardo, na Escola e em seguida veio até a Rainha da Borborema.

Ao retornar para a capital, ela recebeu a informação de que o então governador Ricardo, em um ato que ela classifica como “vingança”, devido a luta judicial que os dois travam na Justiça pela guarda do filho, possivelmente ordenou que policiais retirassem Henry de dentro da escola e o levassem para a Granja Santana. “No mesmo local onde anteriormente eu fui agredida, sequestrada, enforcada, roubada e surrada ao ponto de me quebrarem os dentes”, denunciou ela no seu instagram.

Pâmela voltou ao local acompanhada do Cabo Gilberto Silva, hoje deputado estadual, para adentrar o local e passar o tempo, que ela por decisão judicial, teria direito de permanecer com a criança. Segundo ela, a decisão judicial foi desobedecida e a criança não foi entregue. “passei a transmitir aquela situação ao vivo”, relatou.

Ao chegar na Granja, e perceber as luzes apagadas, Pâmela disse que estava em uma emboscada, e que as portas tinhas sido fechadas para que ela e o Cabo Gilberto não pudessem adentrar ao local. “Avistei a mema cancela que entrei já fechada e com correntes e cadeados. Sem pestanejar, passei por cima dela, pois o prejuízo seria o meu carro e não a minha integridade física ou, pior, a minha vida. Lá dentro poderiam até atirar em mim! Enfim, a fuga me salvou”, relatou Pâmela, aliviada após o resultado.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Anúncio
Netzonesistemas
Blogs e colunas
Banner Camila Feitosa
Últimas notícias
Anúncio
Mais lidas
Anúncio
Anúncio