Banner Inecardio
treinamentos

Maternidade de Patos realiza treinamento com equipe sobre classificação de risco obstétrico

Na tarde desta quinta-feira (12), outra turma participará da capacitação

12/09/2019 16h32
Por: Ary Ramalho
Fonte: News Comunicações
26
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A classificação de risco é um procedimento necessário e muito importante na admissão de pacientes em qualquer unidade de saúde e no caso de uma instituição que atua com gestantes, isso implica em cuidado dobrado, porque não se avalia apenas a paciente, mas, também quem está em seu ventre. Por isso, mesmo já capacitados para atuar nesse procedimento, a Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos, realiza permanentemente treinamentos com sua equipe para aperfeiçoar seu processo de acolhimento com humanização e classificação de risco. Nesta quarta-feira (11), Médicos, Enfermeiros e Técnicos de Enfermagem, com foco, nos que atuam no acolhimento, participaram da capacitação 'Classificação de Risco Obstétrico'. O treinamento foi feito pela Mestre e Professora da UNIFIP, Thoyama Lima, no turno da manhã. Na tarde desta quinta-feira (12), outra turma participará da capacitação.

O diretor geral da Maternidade, Dr. Umberto Marinho Júnior, lembra que esse procedimento de classificação adotado pela unidade está em consonância com um processo interno de melhoria contínua, que tem o objetivo de assegurar que as pacientes tenham um atendimento mais eficaz, levando-se em conta a sua própria necessidade e urgência. "É preciso lembrar que essa classificação de risco é feita, já há algum tempo, pela Maternidade, mas nós insistimos em reativar sempre esses conceitos, fazendo a reciclagem de conhecimento de nossos profissionais, a fim de que possamos atender melhor, a cada dia, nossas pacientes", destaca o médico, lembrado que no ano passado foi realizado um treinamento similar ao que foi feito nesta quarta-feira.

Durante a capacitação, os profissionais revisaram procedimentos e critérios que devem ser realizados e observados no momento do acolhimento da paciente. "A distinção de riscos ou graus de sofrimento evita que alguns casos se agravem e possibilita que a paciente tenha o atendimento no modo e tempo adequado. O acolhimento com avaliação de risco obstétrico configura-se, assim, como uma das intervenções potencialmente decisivas na porta de entrada da unidade e, consequentemente, isso melhora a eficiência do atendimento as nossas pacientes que é sempre o nosso foco de atuação", finaliza o diretor geral da Maternidade, Dr. Umberto.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Anúncio
Netzonesistemas
Blogs e colunas
Banner Camila Feitosa
Últimas notícias
Anúncio
Mais lidas
Anúncio
Anúncio