Banner Inecardio
desdobramentos

MPF apura escolha de OS para gestão de UPA em Princesa Isabel

Inquérito civil foi instaurado em Monteiro. Organização Social administra unidade de saúde até 31 de janeiro

22/01/2020 16h32
Por: Ary Ramalho
Fonte: Pleno Poder
121
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A partir de fevereiro os hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s) da Paraíba, que hoje são geridos por Organizações Sociais (OS), serão administrados diretamente pelo Governo do Estado. Mesmo assim, o Ministério Público Federal (MPF) vai apurar o processo de ‘Chamamento Público’ que originou a contratação do Instituto Acqua, para comandar a Unidade de Ponto Atendimento (UPA) da cidade de Princesa Isabel.

A portaria do inquérito civil público foi publicada na edição desta quarta-feira (22), pela procuradora da República Janaína Andrade. O instituto também era responsável pela gestão do Hospital de Trauma de João Pessoa até o fim do ano passado, substituindo a Cruz Vemelha – cujos contratos são investigados na Operação Calvário. No caso da Upa de Princesa Isabel, a entidade permanecerá à frente da unidade até o dia 31 deste mês.

Outros contratos com OS’s

Os contratos do Governo da Paraíba com Organizações Sociais são o ponto central de uma série de investigações realizadas no Rio de Janeiro, que acabaram desencadeando a deflagração da Operação Calvário, na Paraíba. Segundo o Ministério Público, no período de 2011 a 2019, somente em favor das OS’s, o Governo da Paraíba empenhou 2,4 bilhões de reais. Desse montante mais de 2,1 bilhões foram pagos, sendo que destes 70 milhões de reais teriam sido desviados para o pagamento de propina a integrantes de uma Organização Criminosa.

Após os desdobramentos da Calvário, o Governo do Estado decidiu suspender todos os contratos com Organizações Sociais. A proposta agora é criar a Fundação PBSaúde, que vai administrar as unidades hospitalares na Paraíba.