Banner Inecardio
otimismo

Empreendedores de pequenos negócios projetam melhor desempenho e aumento do faturamento em 2020, indica pesquisa do Sebrae

Sondagem Conjuntural, que ouviu mais de 2,9 mil empresários, também aponta otimismo em relação à economia brasileira nos próximos meses

12/02/2020 15h43
Por: Ary Ramalho
Fonte: Assessoria - Sebrae PB
99
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O ano de 2020 começou com otimismo e boas perspectivas entre os donos de pequenos negócios no Brasil. É o que indica pesquisa realizada pelo Sebrae Nacional entre os meses de dezembro e janeiro, com o objetivo de conhecer as expectativas desses empreendedores para a economia brasileira e para os seus próprios negócios ao longo de 2020. Conforme os números, a maior parte dos 2.992 entrevistados em todo o país acredita em um cenário mais favorável aos negócios nos próximos 12 meses.    

Quando perguntados sobre o que esperam da economia brasileira ao longo do ano, 72% dos entrevistados disseram acreditar que ela vai melhorar, enquanto 18,2% afirmaram que o cenário deve permanecer como está e 8,1% que ele vai piorar em relação ao ano passado. Considerando apenas os números da região Nordeste, onde a Sondagem Conjuntural ouviu 573 empreendedores, 67% afirmam que a economia vai melhorar, seguidos por 20% que acham que ela vai permanecer como está e outros 11% que acreditam em sua piora.   

Além das expectativas positivas em relação à economia, os empreendedores entrevistados também demonstraram otimismo quando questionados sobre os seus próprios negócios. Segundo os dados, 77,1% esperam um melhor desempenho da empresa ao longo do ano, enquanto 18% acreditam que ela vai permanecer como está e outros 4,1% disseram que o negócio deve piorar.

Considerando os números da pesquisa por setor, os mais otimistas são os pequenos negócios da construção civil, uma vez que 79% deles acreditam na melhoria das suas empresas em 2020. Em seguida, aparecem os setores do comércio (78%), da indústria (77%) e dos serviços (75%).  Já entre os que acreditam em uma piora dos seus negócios, 5% são do setor da indústria, 4% da construção civil, outros 4% do comércio e 3% do setor de serviços. Ainda conforme a pesquisa, há também os empreendedores que não vislumbram mudanças na realidade das suas empresas nos próximos meses: 21% deles estão no setor de serviços, 17% no comércio, 17% na indústria e 16% na construção civil.

A Sondagem Conjuntural realizada pelo Sebrae junto aos pequenos negócios, incluindo microempreendedores individuais (MEIs), donos de microempresas (ME) e de empresas de pequeno porte (EPP), também revelou otimismo dos empresários em relação ao faturamento. De acordo com os números, 72,5% dos entrevistados acreditam que ele vai melhorar, enquanto 19,7% não projetam mudanças e outros 6,3% estimam uma piora ao longo de 2020.

Na avaliação do analista do Sebrae Paraíba, Ismael Nóbrega, os dados indicam um momento de virada na economia, trazendo algumas transformações que podem provocar impactos positivos já no primeiro semestre do ano.  

“A percepção de um ligeiro otimismo nas projeções dos empresários reforça uma visão coletiva de que estamos em um ponto de virada e reação na economia, principalmente nas atividades de serviços, que historicamente sofrem menor impacto de um cenário mais desafiador da conjuntura econômica, como é o caso da indústria. Além disso, as alterações das políticas monetárias recentes devem propagar as primeiras transformações com certo impacto no crédito, no consumo e um reflexo direto no comércio já no preparativo para as principais datas do primeiro semestre”, explicou o analista.