Banner Inecardio
alerta

Cagepa suspende corte de água de inadimplentes durante pandemia de coronavírus na PB

O órgão acatou a recomendação da Defensoria Pública do Estado da Paraíba para procurar meios menos gravosos de coação para a cobrança da dívida

19/03/2020 20h30
Por: Ary Ramalho
Fonte: G1-PB
94
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Os consumidores inadimplentes da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) não vão ter o fornecimento de água cortado durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), conforme informou a Cagepa nesta quinta-feira (19). O órgão acatou a recomendação da Defensoria Pública do Estado da Paraíba para procurar meios menos gravosos de coação para a cobrança da dívida.

Na quarta-feira (18), a defensoria emitiu um alerta para o órgão e para as empresas concessionárias de energia elétrica, pedindo que os meios alternativos fossem priorizados considerando, entre outros aspectos, a redução de renda de pessoas autônomas durante o período de isolamento proposto pelas autoridades sanitárias.

A Cagepa informou que mesmo com a suspensão nos cortes, é importante que os inadimplentes façam o pagamento, que pode ser feito por aplicativos de bancos, uma vez que a dívida permanece.

Na quinta-feira, o órgão divulgou que restringiu o atendimento presencial nas unidades aos casos de extrema necessidade. As demais situações devem ser resolvidas por telefone, no número 115, ou pelos canais online, tanto pelo site da Cagepa quanto pelo aplicativo para celulares e tablets.

Pelo aplicativo e pelo site, os clientes podem solicitar serviços como emissão de segunda via de fatura, registro de reclamações, consulta de informações de consumo e acompanhamento de solicitações.

“A Cagepa é extremamente importante neste momento de pandemia, tendo em vista que o fornecimento de água é essencial para a higienização das mãos ser feita regularmente. Portanto, vamos manter nossas equipes de manutenção de prontidão, mas ajustando a dinâmica de atendimento para garantir a proteção dos nossos clientes e de toda a população”, informou o presidente do órgão, Marcus Vinícius.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.