Banner Inecardio
Canário do Sertão

Nacional de Patos só volta ao estadual com garantias de saúde e pagamento de incentivos

Presidente do clube sertanejo, Cleodon Bezerra, disse que time só volta ao Paraibano caso haja garantias dos órgãos de saúde pública e também a quitação das dívidas do Governo do Estado

20/04/2020 20h59
Por: Ary Ramalho
Fonte: GE-PB
107
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Três critérios foram estipulados pelo presidente do Nacional de Patos, Cleodon Bezerra, para que sua equipe volte a campo na disputa do Campeonato Paraibano, suspenso há mais de um mês por conta da pandemia do novo coronavírus. Segundo o dirigente sertanejo, mesmo com os protocolos que foram repassados pela Federação Paraibana de Futebol (FPF) em reunião na última sexta-feira, o Canário só vai confirmar sua participação caso haja primeiro uma liberação por parte das autoridades de saúde e que também sejam quitadas dívidas com relação aos programas de incentivo do Governo do Estado.

- O Nacional de Patos definiu alguns critérios para poder voltar aos jogos do Campeonato Paraibano. O primeiro e principal é que sejam dadas garantias por parte das autoridades de saúde para que os jogos sejam retomados, isso é o mais importante nesse momento. Depois o clube aguarda que sejam pagos os valores referentes ao Gol de Placa do ano passado, ainda pendentes, e também os valores do novo Programa de Incentivo ao Esporte, desse ano, que também não foram pagos. Com essas três condições é que nós podemos ter viabilidade para retornar ao campeonato - disse o dirigente sertanejo.

Tabela do Campeonato Paraibano 2020

Na última sexta-feira, a FPF reuniu os clubes através de uma videoconferência e enumerou algumas ações que podem ser colocadas em prática para que o Campeonato Paraibano seja concluído. Estão na pauta da entidade, por exemplo, a escolha de uma sede única para receber todos os jogos restantes e sem a presença de torcida. No entanto, tal decisão, ou qualquer outra relacionada à volta dos jogos, depende de uma série de outros fatores que não somente o desejo dos clubes e da própria FPF.