Banner Inecardio
permanência

Após livrar o Nacional de Patos da queda, Celso Teixeira admite a possibilidade de voltar ao clube

Treinador chegou ao Canário com a missão de evitar o rebaixamento e, após conquistar o objetivo, disse ter criado identificação e não descartou uma segunda passagem pelo clube

29/07/2020 16h50
Por: Ary Ramalho
Fonte: GE/PB
39
Foto: José Filho / Nacional de Patos
Foto: José Filho / Nacional de Patos

A vitória sobre a Perilima, na noite dessa terça-feira, decretou a permanência do Nacional de Patos na elite do Campeonato Paraibano de 2020. Com um adversário já sem ambições no campeonato e recheado de atletas oriundos das categorias de base, o Canário do Sertão conseguiu se impor mesmo fora de casa, no Presidente Vargas, em Campina Grande. Apesar da dificuldade de abrir o placar, o Alviverde insistiu e conseguiu sair com a vitória. O treinador Celso Teixeira comemorou o cumprimento da meta estabelecida desde a sua chegada ao clube, que era livrar o time do rebaixamento, e deu a entender que cogita a possibilidade de comandar a equipe em outra oportunidade.

- É uma porta que eu abri. Eu não esperava vir para o Nacional de Patos. Criei um carinho, uma identidade. Se um dia surgir a possibilidade (de voltar), eu vou olhar com bastante carinho. Se fosse em outra oportunidade eu podia relutar um pouco, mas da forma que eu fui recebido e tratado, se houver uma proposta, eu vou pensar bem e há essa possibilidade (de voltar). Por que não? - afirmou Celso Teixeira.

Com o empate em 0 a 0 no intervalo, o Nacional de Patos estava sendo rebaixado para a 2ª divisão do Paraibano - uma vez que São Paulo Crystal estava vencendo o Sport Lagoa Seca, e o CSP, apesar de estar sendo derrotado para o Botafogo-PB, tinha um número maior de vitórias. Após conversa do treinador com os jogadores no vestiário, porém, o cenário mudou. O Canário do Sertão abriu o placar aos 15 minutos do primeiro tempo.

- Eu acho que os jogadores aceitaram bem as cobranças que eu tinha, que eu fiz, e em pouco tempo assimilaram aquilo que eu tinha como ideia de jogo e, consequentemente, fizemos duas grandes apresentações - disse o comandante do Nacional de Patos, lembrando também o empate sem gols com o Treze na rodada anterior.

Celso Teixeira assumiu o Nacional de Patos na terceira colocação do Grupo B, com oito pontos, um à frente do CSP e dois à frente do São Paulo Crystal. Porém, tinha um jogo dificílimo pela frente, pela nona rodada, contra o Treze. Até por isso, na visão de Celso, o time tinha grandes chances de cair.

- Quando recebi o convite, eu não me empolguei muito para vir encarar essa situação difícil que vivia o Nacional de Patos. A dificuldade maior era o pouco tempo que tínhamos e também pelos adversários que tínhamos pela frente e que, no mínimo, tínhamos que somar quatro pontos - disse o técnico Celso Teixeira.

Sem calendário para o restante da temporada, o Nacional de Patos voltará a campo, de forma oficial, apenas no próximo ano, nas disputas do Paraibano de 2021.