Banner Inecardio
retomada

Prefeito de Patos e secretários defendem plano para viabilidade de abertura de bares e restaurantes

Os órgãos fiscalizadores solicitaram que esse plano fosse protocolado fisicamente para análise, e garantiram celeridade

30/07/2020 06h36
Por: Ary Ramalho
Fonte: Coordecom
41
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Na tarde desta quarta-feira, dia 29 de julho, o prefeito de Patos, Ivanes Lacerda, o Procurador do município, Jonas Guedes, o secretário de planejamento, Wallam Oliveira e o secretário de saúde, José Francisco de Sousa (Zeca), participaram de uma audiência remota com o Ministério Público da Paraíba, Ministério Público Federal, Ministério Público do Trabalho e Defensoria Pública do Estado para debater a flexibilização de segmentos da economia local.

Na oportunidade, foi apresentado um plano de retomada do município mostrando o índice de isolamento social, número de recuperados, número de leitos de UTI disponíveis, redução de casos com sintomas gripais, campanhas educativas, número de respiradores e os cuidados exigidos para a flexibilização dos serviços de bares e restaurantes.

Os órgãos fiscalizadores solicitaram que esse plano fosse protocolado fisicamente para análise, e garantiram celeridade.

O secretário de saúde do município, José Francisco de Sousa, informou que a audiência foi técnica, pois, foram apresentados detalhes de ocupação de leitos, entre outras informações pertinentes neste período de pandemia do novo coronavírus (COVID-19).

"Nós tivemos o compromisso de apresentar todas as curvas de ocupação de leitos, como também de letalidade, como a doença está se manifestando no nosso município. Informamos isso ao Ministério. Mostramos ocupação de leitos, mostramos, dessa distribuição por bairros, como as situações estavam se manifestando. O nosso município solicitou à inclusão de dois novos pontos na nossa bandeira que seriam a abertura dos restaurantes e dos bares”, explicou.

Zeca confirmou que os ministérios solicitaram um plano de ação por parte do município para apontar que a abertura dessas duas modalidades é segura para a execução nesse momento. Ele ainda informou que o comércio local já está saturado devido ao tempo que está fechado e que o município não tem condições de realizar com eficiência uma fiscalização nesses estabelecimentos que funcionam de forma clandestina mediante o decreto de fechamento.

“O que a gente quer é oficializar para que a gente possa monitorar os dados. Oficializando e demonstrando esses dados, demonstramos que está sob controle. A gente sabe que o patamar ou platô está em alta, mas precisamos fazer essa descida, uma descida com responsabilidade”, afirmou o secretário de saúde.

José Francisco informou que os órgãos fiscalizadores solicitaram um relatório para ser entregue nesta quinta-feira (30) e que, a partir dai, o município tivesse a viabilidade e a segurança, na visão deles, para reabrir os estabelecimentos.