Banner Cidade do Sol
acima da média

Sertão da Paraíba tem até 10 incêndios por dia desde agosto

Provocar incêndios é crime previsto em legislação federal. A pena vai de multa a reclusão, dependendo do caso. Quem souber a identidade de responsáveis por queimadas pode denunciar à Polícia Militar (telefone 190) ou ao Corpo de Bombeiros (telefone 193).

13/10/2020 19h28
Por: Ary Ramalho
Fonte: Paraíba Todo Dia
24
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Centenas de hectares foram queimados na Zona Rural de municípios do Sertão paraibano nos últimos três meses. A região sofre uma média, de 5 a 10 incêndios por dia, e quase todos os incêndios são provocados pela população. Em 2020, os números estão acima da média.

De acordo com o major Galvão, do Corpo de Bombeiros em Patos, algumas queimadas são motivadas apenas pela maldade humana, mas, na maioria dos casos, o fogo é usado para “limpar os terrenos”. Como o período chuvoso no Sertão acontece no primeiro semestre, nesta época do ano a vegetação começa a secar e donos de terra preferem queimar os terrenos a investir em equipamentos e funcionários para realizar a limpeza de forma adequada.

“Ocorrências desse tipo são comuns nesta época do ano, mas já podemos sinalizar que, em 2020, os números estão acima da média. Infelizmente, em mais de 90% dos casos os incêndios são provocados pelo homem. As condições climáticas e ambientais, como alta temperatura, baixa umidade e ventos fortes, ajudam a alastrar o fogo”, disse o major Galvão à equipe do Portal Correio

Crime

Provocar incêndios é crime previsto em legislação federal. A pena vai de multa a reclusão, dependendo do caso. Quem souber a identidade de responsáveis por queimadas pode denunciar à Polícia Militar (telefone 190) ou ao Corpo de Bombeiros (telefone 193).

Incêndios no Vale do Piancó

Os episódios mais recentes ocorrem no Vale do Piancó. Desde a quinta-feira (8), o Corpo de Bombeiros combate queimadas nos municípios de Itaporanga, Diamante, Curral Velho e São José de Caiana. De acordo com o capitão Gleison, responsável pela região, as equipes seguem monitorando a área afetada.

“Na manhã de hoje [terça-feira], estamos fazendo um trabalho de campo para localizar focos de incêndio e apagar brasas. Normalmente, as condições para incêndios ficam mais favoráveis depois do meio-dia, então essa ação é muito importante para evitar que o fogo volte a se alastrar”, explica.

Combate às chamas pode durar semanas

Em setembro, incêndios registrados em propriedades nos municípios de Santa Terezinha, Mãe D’Água e São José do Bonfim mobilizaram o Corpo de Bombeiros por cerca de 15 dias. Para facilitar os trabalhos, foi criada uma Força Regional de Combate a Incêndio. Quando há um incêndio de grande proporção em uma localidade, o Corpo de Bombeiros pode solicitar apoio de equipes de cidades vizinhas.

“Acreditamos que até o fim do ano continuaremos recebendo chamados relativos a queimadas na Zona Rural”, disse o major Galvão.