Centro Educacional Ágape
declarou

Julian demonstra indignação com ação de policias de Sergipe que culminou com morte de paraibano e sentencia: “A justiça será feita, custe o que custar”

De acordo com o parlamentar, a verdade deve ser preservada acima de tudo, assim como a memória de Geffeson, que era um homem de bem.

18/03/2021 15h04
Por: Ary Ramalho
33
Foto - Reprodução
Foto - Reprodução

 

O deputado federal Julian Lemos (PSL) lamentou a morte do empresário paraibano Geffeson Moura, que ocorreu durante ação feita por policiais civis do Sergipe na última terça-feira (16) e declarou que a referida ação está coberta de controvérsias, precisando ser esclarecida o quanto antes

De acordo com o parlamentar, a verdade deve ser preservada acima de tudo, assim como a memória de Geffeson, que era um homem de bem.

Julian conclamou o Ministério Público, a OAB através de sua comissão de Direitos Humanos, e disse que se for preciso ele irá ao Ministério da Justiça, até que o caso tenha uma resposta.

Demonstrando indignação, Julian declarou ainda que vai para Cajazeiras e a Sergipe pois quer saber tudo que aconteceu até ação que culminou com a morte do empresário.

O parlamentar ainda declarou que confia no trabalho das forças de segurança da Paraíba, que já conversou com delegados da Polícia Civil, irá falar com o secretário de segurança Jean Nunes e que se for necessário irá falar com o ministro da Justiça.

“Uma tragédia onde uma operação desastrosa da polícia civil de Aracaju culminou coma morte de Geffeson Moura. Toda cajazeiras e parte do Sertão conhecia Geffeson, um rapaz calmo, pacato, bom filho, bom amigo e de repente cinco tiros acaba com a vida do rapaz, destrói a vida de uma família, através dessa operação desastrosa onde a vítima esta sendo acusada de ter reagido num conversa muito mal contada. Mas acredito no trabalho da polícia civil, já falei com o delegado Silvio Rabelo, também com o delegado geral, estarei entrando em contado com o secretário de segurança, e se for preciso falo com o ministro da Justiça até que essa história seja esclarecida” desabafou.

Julian ainda disse que não irá fazer juízo de valor antes da perícia ser concluída, porém, ao seu ver, que conhecia a vítima, a história do assassinato não bate.

“Não vou fazer juízo de valor até o resultado da perícia, mas até então a história não bate. Quero dizer ao povo da Paraíba que estarei em cima desse caso, vigilante, a justiça tem que ser feita. Estou aqui fazendo um compromisso que não irei largar mais essa missão . Deixo meu abraço a família e ao povo de Cajazeiras, sou solidário, sei que não podemos trazer ele de volta, mas podemos honrar a memória dele” concluiu.