Centro Educacional Ágape
durante entrevista

Hugo Motta diz que ministro da Saúde foi cotado para ser vice de Cícero e descarta 2022: ‘Missão agora é a de combater a Covid’

Segundo o parlamentar, o nome do médico cardiologista não avançou porque as alianças tomaram um outro rumo com o Cidadania, partido do governador João Azevêdo.

18/03/2021 16h03
Por: Ary Ramalho
Fonte: Paraíba. com
61
Foto - Reprodução
Foto - Reprodução

O deputado federal Hugo Motta (Republicanos), durante entrevista ao programa Rede Verdade, do Sistema Arapuan de Comunicação, nesta quinta-feira (18), confirmou que o nome do novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, chegou a ser cotado para ser vice-prefeito na chapa do prefeito eleito Cícero Lucena (Progressistas). Segundo o parlamentar, o nome do médico cardiologista não avançou porque as alianças tomaram um outro rumo com o Cidadania, partido do governador João Azevêdo.

“Quando estávamos na janela partidária, na eleição do ano passado, eu convidei Marcelo para integrar os quadros do nosso partido para que ele pudesse ser uma opção com candidatura a prefeito e até mesmo fazer alguma composição em que o partido estivesse mais à frente. Nas conversas que tivemos com o Progressistas, o atual prefeito Cícero Lucena e Aguinaldo Ribeiro, nós sempre colocamos o nome de Marcelo como uma opção para ser vice”, disse o deputado.

“O nome dele era forte, até porque a saúde do nosso estado é um dos principais problemas e um técnico na área da saúde com certeza poderia ajudar a qualquer gestor do Estado. Mas as articulações políticas se deram de outra forma e continuamos apoiando o prefeito Cícero Lucena quando houve uma aliança com o governador, e ele preferiu fazer uma aliança com o Cidadania, nós respeitamos. A questão não se concretizou por rejeição ao nome de Marcelo, mas sim pela construção do momento”, concluiu.

Questionado se o nome de Marcelo Queiroga continua forte em um possível composição em 2022, o deputado federal descartou momentaneamente as especulações sobre essa possibilidade e citou que o ministro tem agora uma missão ainda maior, que é o combate à Covid-19 no Brasil. “No momento eu não queria colocar a questão política eleitoral, hoje a missão de Marcelo Queiroga é muito maior do que uma disputa eventual de cargos futuros”, disse.

“O desafio dele agora é conseguir cumprir o papel de enfrentar essa grave crise que o país passa e poder trazer o Ministério da Saúde para uma linha que proteja os milhões de brasileiros, fortalecendo a vacinação e consiga ajudar os prefeitos e governadores com novos leitos e outros recursos, porque só o SUS tem a capacidade”, concluiu o deputado federal Hugo Motta.