Centro Educacional Ágape
precisa de benefício

Zé Gonçalves quer ‘choque de gestão’ para dar respostas aos problemas do povo de Patos

Ele destacou os problemas da cidade que continuam atormentando a população, como galerias estouradas, mato e lixo nas ruas, cuja atuação é feita de forma ainda artesanal e sem soluções efetivas.

09/04/2021 08h47
Por: Ary Ramalho
Fonte: Assessoria - Ver. Zé Gançalves
40
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O vereador Zé Gonçalves (PT) disse na sessão remota da Câmara Municipal da noite dessa terça-feira (8) que a Patos precisa de um ‘choque de gestão’ que possa dar respostas aos problemas do povo.

Ele acredita que a população precisa de benefícios, através de políticas públicas, e no entanto as ações não estão acontecendo. “Tem condições de um único carro atender aos serviços de iluminação pública da cidade? É impossível”, questionou o parlamentar.

Ele destacou os problemas da cidade que continuam atormentando a população, como galerias estouradas, mato e lixo nas ruas, cuja atuação é feita de forma ainda artesanal e sem soluções efetivas.

Ele reiterou que problemas se estendem a setores importantes como Infraestrutura, Serviços Públicos e Saúde. Zé Gonçalves indagou por que o hospital de campanha ainda não saiu e por que problemas de atendimento à saúde continuam. As UBS continuam sem atendimento odontológico e os usuários continuam reclamando da demora na realização de exames.

Zé Gonçalves sugeriu um trabalho conjunto entre prefeito, vice, secretários e vereadores numa  interação e união de forças para que a cidade venha avançar nas soluções dos problemas.

Ocupação indevida

Entre os requerimentos apresentados pelo vereador Zé Gonçalves, foi destaque a solicitação à Procuradoria do Município da relação de quem está ocupando as áreas dos rios Espinharas, Cruz e Farinha de forma indevida.

O parlamentar criticou a ação sobre os sem-teto e a falta de ações sobre ocupações feitas por pessoas de alto poder aquisitivo.. “Os ricos ocupam as áreas públicas e não são importunados, agora quando são os sem-teto vem máquina para derrubar”, reclamou.