Segunda, 27 de Setembro de 2021
83 9-8166-7186
Política 7 de setembro

Grito dos Excluídos reúne manifestantes na Praça Edivaldo Motta, em Patos

O 27º Grito dos Excluídos e Excluídas contou com estrutura de tendas, carro de som e teve a apresentação cultural do músico e cantor Teinha dos Teclados.

07/09/2021 16h14
123
Por: Ary Ramalho Fonte: Polêmica Patos
Foto Reprodução.
Foto Reprodução.

O 27º Grito dos Excluídos e Excluídas mostrou força na manhã desta terça-feira, dia 7 de setembro, e reuniu dezenas de lutadores sociais envolvidos nas pastorais e nos diversos movimentos sociais, políticos, sindicais, bem como cidadãos que buscam dias melhores para o povo de todo o Brasil. 

O ato aconteceu na Praça Edivaldo Mota, a popular Praça do CEPA, em pleno centro da cidade de Patos, onde os presentes puderam demonstrar com suas faixas, cartazes, bandeiras, máscaras, falas e nas diversas expressões, a insatisfação com o atual cenário social e político que ameaça a frágil democracia e põe cada vez mais em risco os direitos conquistados através de lutas de vida e de morte.

O 27º Grito dos Excluídos e Excluídas contou com estrutura de tendas, carro de som e teve a apresentação cultural do músico e cantor Teinha dos Teclados. Em determinado momento, uma mística foi encenada para mostrar que a luta por moradia, liberdades individuais e coletivas, direitos sociais e pela vida continuam mais vivas do que nunca. Cartazes alertando para as mortes por homofobia, machismo, preconceito e ódio foram exibidos. As mais de 584 mil mortes pela Covid 19 foram lembradas e o alerta é de que elas continuam por todo o país.

Após a vitória de Bolsonaro, com seu governo de destruição da natureza, de crimes contra a nação, de escândalos cada vez mais evidentes contra o patrimônio público e com um profundo processo de desnacionalização das riquezas do Brasil, bem como contra à educação, a saúde e a própria vida, por meio de uma política nefasta, o O 27º Grito dos Excluídos e Excluídas cumpre um papel de denúncias e de chamamento para união do povo para resistir aos ataques aos lutadores sociais que continuam buscando dias melhores para o povo.

Durante o ato, destaque para o Bispo Diocesano de Patos, Dom Eraldo Bispo da Silva, que se fez presente do início ao fim da atividade. “…quero aqui deixar uma palavra lúcida da igreja, a igreja de Jesus Cristo. A igreja que defende a vida. Porque aquele que a fundou, Jesus de Nazaré, disse exatamente para que veio: eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância…esse projeto tem sido prejudicado pelo egoísmo e pela ganância…parabéns por essa iniciativa no dia Sete de Setembro…”, relatou em trecho de sua fala o Bispo Dom Eraldo.

O 27º Grito dos Excluídos e Excluídas contou com cidadãos vindos de cidades da região metropolitana de Patos. O vereador sindicalista José Gonçalves (PT) foi o único da Câmara dos Vereadores de Patos que compareceu à atividade. “O nosso mandato na Câmara Municipal de Patos tem por obrigação estar a serviço da luta do povo. Esse é o papel fundamental do vereador que foi, justamente, capacitado nas lutas do dia a dia”, relatou Gonçalves.

Cumprindo um papel democrático do início ao fim, O 27º Grito dos Excluídos e Excluídas abriu os microfones para todos que desejaram falar. Entre os inscritos para usar a palavra, uma família da comunidade Serrote Liso relatou a dificuldade de viver em um local sem a mínima infraestrutura para oferecer dignidade. Essa família é a mais pura expressão daqueles que vivem marginalizados, pois vivem em uma casa sem água, luz, saneamento, renda fixa, emprego e dependendo da solidariedade para sobreviver.

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias