Quarta, 27 de Outubro de 2021
83 9-8166-7186
Geral Levantamento

Segundo LIRAa de 2021 aponta redução de índice de infestação do Aedes aegypti em Patos

O estudo apontou que o índice geral de 6,4% do primeiro LIRAa, caiu para 4,0% no levantamento deste segundo LIRAa, realizado em setembro.

07/10/2021 11h14
27
Por: Ary Ramalho Fonte: Coordecom
Foto Divulgação
Foto Divulgação

O segundo Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa) deste ano de 2021, realizado pela Prefeitura de Patos, por meio da Secretaria de Saúde, Gerência de Vigilância em Saúde e setor de Vigilância Ambiental, entre 13 e 17 de setembro, revelou que a cidade de Patos reduziu o percentual de infestação das arboviroses (dengue, zika vírus e chikungunya).

 

O estudo apontou que o índice geral de 6,4% do primeiro LIRAa, caiu para 4,0% no levantamento deste segundo LIRAa, realizado em setembro.

 

De forma mais específica, e ainda comparado ao último estudo, o novo LIRAa apontou que antes o Conjunto dos Sapateiros estava com índice de infestação em 19,4%, e que agora caiu para 12,0%. Já o bairro Liberdade diminuiu de 11,4% para 10,0%.

 

Os demais bairros com alto e médio risco endêmico são Monte Castelo, Jatobá, Santa Cecília, Nova Conquista, Alto da Tubiba, Santo Antônio, Maternidade, Morro, Morada do Sol, Bivar Olinto, Conjunto Itatiunga, Centro, Brasília, Salgadinho, Ana Leite, São Sebastião, Setes Casas, Jardim Magnólia, Distrito Industrial, Bairro dos Estados, Belo Horizonte, Bela Vista, Noé Trajano, Novo Horizonte, Luar de Angelita, Campestre e distrito de Santa Gertrudes.

 

O coordenador da Vigilância Ambiental de Patos, José Júnior de Medeiros, informa que mesmo diante de uma redução significativa, a incidência de focos do Aedes aegypti ainda sinaliza que várias localidades estão com alto e médio risco de epidemia. Contudo, ressalta que o trabalho de controle vetorial realizado pelos agentes de endemias vem surtindo efeito positivo.

 

"O Liraa é uma carta norteadora, ele nos orienta, mostra a realidade do município pra que ações de combate ao vetor sejam traçadas e os índices sejam reduzidos", destacou.

 

Ainda de acordo com De Medeiros, a aplicação do novo larvicida, as visitas domiciliares, o trabalho de educação em saúde, controle biológico e outras ações de rotina, continuam sendo intensificadas para que seja possível avançar mais.

 

Entretanto, ele reforça que a população tem função principal nesse combate por meio das medidas preventivas, como limpar depósitos de água periodicamente e evitar o descarte inadequado de lixo em terrenos baldios, por exemplo.

 

Qualquer dúvida, a população pode entrar em contato com a Vigilância Ambiental pelo número: (83) 98887-7476.

 

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias