Quinta, 02 de Dezembro de 2021
83 9-8166-7186
Geral ofertados

Hospital do Bem já realizou mais de 600 cirurgias ginecológicas oncológicas em três anos de funcionamento

Isso deu outra dimensão a Medicina especializada no sertão paraibano e abriu novas perspectivas de tratamento para os pacientes da região", destaca o médico.

27/10/2021 15h33
58
Por: Ary Ramalho Fonte: News Comuicação
Foto Divulgação
Foto Divulgação

Há três anos em funcionamento, o Hospital do Bem, única unidade que atende pacientes com câncer no sertão paraibano, já realizou 1.465 cirurgias, das quais, 651 foram cirurgias oncológicas ginecológicas. O cirurgião oncológico e responsável pela parte da cirurgia ginecológica do Hospital do Bem, Dr. Wostenildo Crispim, destaca a importância deste serviço para a população de Patos e região. "O Hospital do Bem possibilitou que serviços nunca antes ofertados na região pudessem ser feitos em Patos, facilitando a vida dos pacientes e também desafogando os serviços na FAP, em Campina Grande, e do Hospital Napoleão Laureano, em João Pessoa. Isso deu outra dimensão a Medicina especializada no sertão paraibano e abriu novas perspectivas de tratamento para os pacientes da região", destaca o médico.

 

            Ainda segundo Dr. Wostenildo, com o Hospital do Bem, que integra o Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC), os serviços oncológicos puderam ser descentralizados no Estado e a população sertaneja foi beneficiada com uma Medicina especializada e de qualidade mais próximo de onde de suas residências. "Quem tinha que ir para João Pessoa ou Campina Grande, desde 2018, faz o tratamento no Hospital do Bem, inclusive procedimentos que não existiam na cidade, a exemplo de  Linfadenectomias pélvicas retroperitoniais, biópsias de congelação para tumores de ovários, cirurgias radicais, etc", reitera o médico. Ele lembra que isso facilita o acesso ao serviço, aumenta a assiduidade ao tratamento e propicia uma melhor qualidade de vida ao paciente que não tem mais o desgaste de grandes deslocamentos.

 

            Dr. Wostenildo destaca que o Hospital do Bem já contabiliza 96 procedimentos de lesões suspeitas ou confirmadas de ovário, que pode acometer mulheres jovens, inclusive, já há registro de uma cirurgia numa adolescente de 14 anos. O levantamento de atividades de cirurgias ginecológicas oncológicas da unidade, nestes três anos, mostra também que foram realizadas 76 histerectomias, oito vulvectomias, procedimentos que retiram parcial ou totalmente a vulva da mulher, dependendo da lesão que a doença tenha atingido. Foram ainda 16 Laparotomias Exploradora Oncológica para tumor de ovário, que é uma cirurgia extremamente delicada e especializada, onde se faz um inventário da cavidade, uma redução tumoral para que a paciente que tem tumores avançados possa fazer um tratamento posterior.

 

O Balanço de atividades na área ginecológica destaca ainda a realização de 230 procedimentos de câncer de pele, a implantação de 31 cateter  implantáveis port-a-cath para quimioterapia, que ajudam o paciente a suportar o tratamento de quimioterapia, incluindo a manutenção do cateter na própria unidade. Foram feitas ainda 216 biopsias de colo uterino, três biópsias de linfonodos, quatro biópsias de congelação e quatro biópsias de vagina. Foram realizadas ainda 64 CAFs, que é uma cirurgia de alta frequência, um tipo de conização realizado com corrente elétrica que serve para tratar patologias do colo uterino e 96 Anexectomias, que é uma cirurgia feita para a retirada de ovários e tubas uterinas.

 

  Houve ainda a realização de duas amputações oncológicas, procedimento que só era realizado em Campina Grande ou João Pessoa antes do Hospital do Bem, procedimentos de biópsia de peritônio, Colecistectomias, Hemioplastias, Ostomias, retirada de partes moles e de pólipo uterino e ainda Transposição ovariana.

 

De setembro de 2018 a agosto deste ano, além das sessões de quimioterapia, das consultas ambulatoriais, dos internamentos e das cirurgias, a unidade também realizou 254 punções de mama, 156 biópsias de mama, 202 biópsias prostática, 106 biópsias de pele e 14 biópsias de ovário. O Hospital que é 100% SUS foi inaugurado no dia 03 de setembro de 2018 e durante toda a pandemia, não suspendeu os atendimentos e manteve os serviços sem alteração, obedecendo a todas as orientações sanitárias e ainda redobrando os cuidados por causa da baixa imunidade dos pacientes que se tratam de câncer.

 

Segundo o diretor geral do Complexo, Francisco Guedes, os números de procedimentos cirúrgicos do hospital já são bons, mas, tendem a ser mais expressivos ainda com a conclusão da reforma e modernização do bloco cirúrgico da unidade, que está prevista para ser concluída na primeira quinzena de novembro. "A expectativa é que com o novo bloco cirúrgico possamos ampliar esse serviço, consolidando esses procedimentos, cada vez mais, no sertão paraibano", destaca o diretor.

 

            Sobre o Hospital do Bem

 

            O Hospital tem atendimento ambulatorial, tratamento quimioterápico e cirúrgico, para quatro tipos de câncer: pele, próstata, mama e colo de útero.  A unidade tem 25 leitos e uma sala de quimioterapia com capacidade para atender dez pacientes simultaneamente. Prioritariamente, os serviços do Hospital do Bem são direcionados para a população dos  municípios que compõem a 3ª macrorregião de saúde do Estado e os pacientes ainda dispõem de um Centro de Diagnóstico, que funciona todos os dias e está instalado dentro do Complexo Hospitalar de Patos, com a disponibilidade de exames de ultrassonografia com Doppler, tomografia, colposcopia, colonoscopia, endoscopia, eletrocardiograma e Raio X. Há ainda um laboratório de análises clínicas próprio que funciona 24h.

 

 

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias