Quarta, 26 de Janeiro de 2022
83 9-8166-7186
Esportes Canário do Sertão

Nacional de Patos avalia a situação do José Cavalcanti na tentativa de conseguir a liberação do estádio

Diretoria alviverde fez uma visita técnica à praça esportiva e listou melhorias a serem feitas no local até o início do estadual. A tentativa é de convencer o Ministério Público a liberar o uso do estádio.

08/01/2022 17h07
Por: Ary Ramalho Fonte: GE-PB
Reprodução
Reprodução

Nacional de Patos está em seus últimos ajustes para o início da pré-temporada, de olho no Campeonato Paraibano 2022, mas uma das batalhas que a diretoria do Canário do Sertão ainda precisa vencer é em relação à liberação do Estádio José Cavalcanti, que desde o ano passado está sem poder receber jogos oficiais. Os dirigentes realizaram uma visita técnica ao local na quarta-feira, elaborando uma proposta do que será feito, para apresentar ao Ministério Público.

Em 2021 o Naça teve apenas um jogo em casa, no José Cavalcanti, pelo estadual, exatamente a estreia contra a Perilima, no empate em 1 a 1. Depois disso, o Ministério Público barrou a praça esportiva da cidade, alegando o não cumprimento de Termos de Ajustamento de Conduta (TAC) celebrados desde 2013, além do perigo por conta do material das obras que vêm sendo feitas no local. Então o Alviverde passou a mandar seus jogos no Estádio Amigão, em Campina Grande, situação que aumentou os gastos do clube com deslocamento, além de perder o fator campo.

Neste ano a batalha para conseguir a liberação continua, tendo em vista que o JC segue interditado pelo Ministério Público, faltando menos de um mês para o início do estadual. Na quarta-feira, a diretoria do clube sertanejo realizou uma visita técnica ao estádio, junto a representantes da Prefeitura de Patos, a quem pertence a praça esportiva, e também de uma arquiteta, para elaborar uma proposta a ser apresentada ao Ministério Público.

Na proposta, os principais pontos são os seguintes: interdição da Arquibancada Sombra, que está com comprometimento na marquise, ficando livre apenas para diretoria e autoridades na parte mais distante da marquise; retirada total dos entulhos acertados pelas obras que que vêm sendo feitas no estádio há cerca de dois anos, além da limpeza do local; disponibilização de um espaço físico para gerenciamento de crise para Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, apresentando equipamentos de brigada de incêndio; e, por fim, construção do parapente da nova arquibancada, que é a única parte que falta para finalizar a obra.

A diretoria também pretende sugerir que os jogos aconteçam com torcida única e com apenas 50% da capacidade do local liberada.

A proposta será encaminhada ao Ministério Público, que fará uma reunião com representantes dos clubes da 1ª divisão na próxima semana, onde será definido quais estádios poderão receber jogos do Paraibano.

 

 

 

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias