Banner Inecardio
SERTÃO

Secretária de Educação proíbe servidores de utilizar celular dentro de escolas no horário de trabalho

A resolução estabelece também os horários de início e término das aulas além de delimitar a atuação e o trabalho dos professores.

31/07/2019 10h40
Por: Ary Ramalho
Fonte: ClickPB
25
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Os servidores municipais de Bernardino Batista, no Sertão do Estado, não poderão mais utilizar aparelhos eletrônicos em escolas públicas municipais durante o horário de desempenho de suas funções. A resolução editada pela Secretária de Educação e Cultura do município, Josielma Silvério Nunes, foi publicada nesta quarta-feira (31) no Diário Oficial dos Municípios.

A resolução estabelece os horários de início e término das aulas além de delimitar a atuação e o trabalho dos professores. Para publicar a resolução com as novas normas, a secretária considerou frequentes negligências no cumprimento de horários, além do grande número de substituições de professores e frequentes atestados médicos, o que implica na descontinuidade do ensino e aprendizagem dos educandos. Além disso, também foi considerado o uso indevido de aparelhos eletrônicos por alguns profissionais.

O uso dos aparelhos eletrônicos, como telefones celulares e tablets será permitido somente em situações de emergência e com relação direta com o trabalho desempenhado. Já no horário de intervalo dos servidores, não cabe intervenção do poder público, como enfatiza a resolução.

Em caso de descumprimento dos horários estabelecidos, o servidor deverá ser advertido e caso haja reincidência, será aberto um processo administrativo disciplinar para apurar a responsabilidade. A resolução entra em vigor na data da publicação e revogam-se todas as disposições em contrário.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários